Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais

0
1310
Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais

Muitas pessoas nos perguntam como fazemos para viajar tanto. Perguntam se somos ricos, se viajamos vendendo artesanato ou de carona.

Por isso, resolvemos contar detalhadamente como nós nos tornamos Nômades Digitais e o nosso passo-a-passo para atingir esse objetivo.

COMEÇANDO DO COMEÇO

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Em La Paloma – Uruguai

Eu, Estela, me formei em Direito e atuei como advogada por alguns anos. Trabalhei pra Bancos, fazia audiências para outros escritórios e tive o meu próprio. Não estava feliz com nenhuma dessas escolhas.

Daí resolvi começar a estudar para concursos públicos porque tinha uma meta muito clara: “vou ser funcionária pública e ganhar uma grana razoável porque quero viajar muito e conhecer o mundo”.

Essa vontade de conhecer o mundo eu herdei do meu pai, que infelizmente faleceu aos 50 anos sem ter sequer chegado perto de realiza-la.

Passei 2 anos estudando horas a fio por dia para concursos; felizmente não consegui pontuação suficiente para os cargos que almejava. Uma grande frustração na época. Porém, hoje percebo que foi a melhor coisa não ter conseguido passar.

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Na cidade de Piriápolis – Uruguai

O Bruno, é formado em publicidade e especialista em Marketing Digital. Começou a trabalhar bem cedo em um Banco e ficou anos por lá. Quando estava terminando a faculdade passou a procurar algum cargo relacionado à sua área. Pediu demissão e começou a sua busca por algo que o satisfizesse.

Trabalhou em algumas agências, escritórios, porém além de passar muitas horas fechado em um local, todos eles eram muito longe de casa. Tomavam horas de deslocamento, estresse e qualidade de vida e daí começou a apresentar problemas de saúde relacionados a todo estresse.

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
A lindíssima Laguna Colorada – Bolívia

Eu, Estela, voltei novamente a refletir sobre qual era o meu objetivo “ganhar dinheiro para poder viajar muito e conhecer o mundo” e daí nós começamos a conversar sobre as nossas vidas, quais eram os nossos ideais, nossas escolhas e sobre felicidade.

A gente se deu conta que estávamos sobrevivendo em São Paulo, só isso. Nosso dinheiro ia para o nosso carrinho e um apartamento caro alugado perto do centro de SP (a essa altura tínhamos nos mudado para lá com o intuito de perder menos horas de vida no deslocamento até o trabalho).

Viajávamos basicamente para o Litoral, interior de São Paulo e Rio de Janeiro. Somente. Não que fosse ruim, porém estava bem longe do nosso ideal.

Nesse ínterim eu também estava pesquisando sobre a cidadania italiana (pois tenho descendência) e sobre a portuguesa (na qual o Bruno também tem descendência) e começamos a alimentar uma vontade antiga que tínhamos desde a adolescência “morar em Londres”.

O COMEÇO DA MUDANÇA

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Jardim Japonês de Buenos Aires – Argentina

Com todas essas ideias na cabeça comecei a pesquisar na internet sobre a cidadania, sobre viagens, e daí de tanto ler sobre diversos assuntos relacionados cheguei até o termo “Nômades Digitais”. Ainda era algo pouco falado e conhecido.

Continuei a pesquisa e achei muito interessante esse estilo de vida: “ter liberdade geográfica para trabalhar e consequentemente mais disponibilidade para viver onde quiser e viajar”. Escrevemos sobre isso no nosso blog também, você pode ler aqui.

A nossa mudança de pensamento e planejamento para ser “Nômade Digital” começou daí, misturando várias idéias: a de morar em Londres, a de viajar o mundo, a de ter liberdade, e assim foi tomando mais forma, foi virando algo mais palpável e planejado.

PRIMEIROS PASSOS

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Vista para o Oceano Pacífico do nosso quarto em Viña del Mar – Chile

Particularmente, a gente detesta o termo “fulano largou tudo e foi viver viajando”. Porque na verdade, cria uma falsa ilusão nas pessoas de que basta você largar tudo sem se planejar que sua vida vai ser plenamente feliz e ponto final.

Pode ser que dê certo? Pode. Porém, nosso objetivo nunca foi esse.

Nós sempre optamos por contar a nossa experiência de forma responsável. Então, agora vamos aos detalhes.

1 – TRABALHO ONLINE

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Trabalhando em Sucre – Bolívia

Nossa primeira atitude foi começar a buscar trabalhos online enquanto ainda tínhamos trabalho fixo/presencial. Para isso, utilizamos diversos sites de freelas como Workana, 99 Freelas, Upwork, etc (estamos preparando um post detalhado sobre todos eles).

Por enquanto escrevemos um post com 10 maneiras de se tornar um nômade digital sem possuir habilidades para trabalhar online.

No início, assim como um trabalho presencial, no online você precisa adquirir experiência, então as vagas não eram as melhores, pagavam pouco, mas aceitamos algumas e seguimos até encontrarmos freelas melhores.

Até que o Bruno conseguiu trabalhos como redator por tempo ilimitado (e está nele até hoje, mais de 1 ano) e foi combinando com outros menores que já fazia.

2 – NOS TORNAMOS NÔMADES DIGITAIS, E AGORA?

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
“Los Dedos”, Punta del Este – Uruguai

Ok, estamos trabalhando online, temos a nossa liberdade geográfica, e agora? Vamos continuar morando em São Paulo? Pagando alto no aluguel? Vamos viajar? Morar em outra cidade?

Nossa ideia de viajar não era fazê-la como turistas obviamente, até porque como Nômades Digitais você precisa trabalhar algumas horas por dia e ter uma boa conexão com a internet, logo você precisa de uma rotina.

Todas essas ideias foram amadurecendo por alguns meses e nós decidimos fazer a nossa primeira longa viagem por alguns países da América do Sul.

Começando pelo Uruguai e terminando na Colômbia. Essa viagem duraria 1 ano.

Assim, começamos a guardar dinheiro para iniciar a nossa viagem, pois prevenido que somos não queríamos viajar contando somente com o dinheiro de freelas, ja que uma hora eles podem acabar, daí podemos tranquilamente procurar por outros sem desespero.

3 – ECONOMIZAR E JUNTAR DINHEIRO

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
“We are not hippies, we are happies” – Valparaíso, Chile

A terceira atitude então foi a questão: como vamos economizar para começarmos a viajar? Para isso acontecer, morando de aluguel é praticamente impossível.

Portanto, vendemos o nosso carrinho, vendemos TUDO que tínhamos no apto (TUDO mesmo), entregamos as chaves e nos mudamos para a casa da minha mãe.

Essa segunda fase, foi sem dúvidas, a mais difícil e a mais radical. Foi realmente o significado de MUDANÇA. Nesse ponto percebemos que “não tinha mais volta”.

Nós nos “tornamos” Nômades Digitais e viajantes sem endereço fixo com o mundo a ser explorado.

Depois de 8 meses morando com a minha mãe, partimos para o nosso primeiro destino: Uruguai. E aí começamos a nossa 1ª longa viagem como Nômades Digitais.

4 – WORK EXCHANGE

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Plantação de uvas em San Rafael – Argentina.

Como já relatamos aqui no blog, além do nosso trabalho online, nós ainda fizemos work exchange por alguns países que conhecemos, com o intuito de nos aprofundarmos na cultura do país, de conhecer pessoas, criar laços e economizar com hospedagem e comida.

Todas as nossas experiências e locais que fizemos work exchange a gente conta detalhadamente como fazer aqui e tudo que aprendemos aqui.

5 – LIBERDADE

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Paisagem deslumbrante no Deserto do Atacama – Chile

Depois de 7 meses viajando e todas as histórias, aprendizados, laços e experiências adquiridas nesse período, o que nós podemos dizer, com toda a certeza, é que estamos REALMENTE FELIZES por termos mudado de vida e nos tornado Nômades Digitais.

A chave de toda a nossa inquietação se resumia em viver uma vida que não gostávamos. Tudo mudou quando encontramos um estilo de vida ao qual nós não precisássemos fugir e isso é extremamente pessoal.

Cada pessoa descobre o que a faz feliz.

Trabalhar online e viajar exige MUITO planejamento, ter uma rotina, organização e contenção de gastos.

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Friozinho em Bariloche – Argentina

Não é viver como turista, ir a restaurantes caros sempre ou levar o notebook pra praia.

Aliás, convenhamos, quem tem apreço pelo seu instrumento de trabalho não arrisca leva-lo para uma lugar tão impróprio como uma praia. Afinal, é areia, água salgada e sol forte; tudo isso pode estragar e deteriorá-lo.

Caso seja essa também a sua vontade, o seu estilo de vida, se planeje, comece a mudar a sua rotina, conheça as histórias de quem já é Nômade Digital e não tenha medo da mudança.

Como Nós Nos Tornamos Nômades Digitais
Nossa foto preferida! Ilha de cactos no meio do deserto de sal de Uyuni – Bolívia

Viva, realize os seus sonhos, afinal a gente nunca sabe quando será o nosso ultimo dia.

Deixe seu comentário!